sábado, 26 de novembro de 2011

ME DESCULPE POR TER DITO SIM


... E tudo acabou em 3 infinitos e irreversíveis minutos. Nossa...nunca imaginei que um dia teria afeto pela palavra "irreversível"...Adorei! Isso quer dizer que não tem mais volta, " no way"! E há muito tempo não havia, se é que houve...Será?

Numa sala sem janelas...entre uma parede e uma porta de canto, dessa vez não te peço desculpa...
A voz de uma mulher, vem de uma mesa de madeira, aliás, móvel bem apropriado para o momento. Tudo ali era " CAIXÃO". De madeira, duro, sem vida, sem trato, sem capricho...Era enterro.

 - " SENHOR, me conte sua história"
E o senhor como quem contava duas moedas de 10 centavos para dar de esmola, contou. Sem qualquer expressão, remorso, dúvida, dívida, raiva, dor...NADA! Disse:" Que história?".
E teria um ser tão desprovido de emoção e sentimento alguma história? Talvez cacos de vida, pedaços de mentiras inventadas e acreditadas por ele mesmo. Foi simples como apertar um botão e deletar TUDO. Como "DESESCREVER" uma história.

- " ahhh...tá! A Senhora quer saber desde quando conheci ela???
Sim, havia chegado há pouco de outro país e a conheci.Começamos a namorar e logo ela engravidou (como que se referindo a uma matuta virgem e ignorante, deflorada por um Nobre cavalheiro arrependido). Aí eu casei. Mas foi um erro, acho que não gostava dela. Foi tudo muito rápido. Tudo aconteceu em dois anos. Acabou pelo desgaste e porque o amor não era suficiente. "

E assim ,sonhos foram resumidos em míseros 180 segundos.

O que??? Cara pálida??? Além de desconhecer palavrinhas mágicas como respeito, dignidade, honestidade, gratidão e hombridade, você não sabe fazer contas primárias? Filho de gente leva 9 meses para nascer, juntando os 21 meses desde que nasceu o bebê, fruto do seu equivocado casamento??? Quanto dá ??? 30 meses.
OOOOOOOOOOOOObbbbbbbbbbbbbaaaaaaaaaaaaaa!!! Naquele momento ainda era possível pensar...quem dera que as contas dele estivessem certas e não fosse "aquele personagem de ficção" o pai do maior amor que há nesta vida, desse guri lindo, que desde primeiro momento que o vi crescer dentro de mim, jurei fazer dele um HOMEM DE BEM!!! E com a graça de Deus ele será!!!
Esquisito é que ao perceber minha  perplexidade diante de tanta mentira e sujeira, percebi que aquilo que chamei de marido e tive a má sorte de dar ao meu filho esse pai, era tão estranho a mim quanto seria um potinho de esperma comprado num banco de sêmen para uma produção independente. A grande diferença é que o potinho de porra não ia me decepcionar tanto,ser tão cruel, nem me causar tantas náuseas.

A forma como se referiu e tratou a mulher com quem casou, se parecia muito com o tratamento que operários dão a máquinas "fazedoras" de troféus.Isso... o bebê ( que foi gerado, amamentado,que recebe tanto amor materno, cuidado e tudo na vida e uma mãe) é o troféuzinho dele para "alegrar" vovôs, ovòs, titias, titios, maninhos e outros velhinhos mais que já haviam desistido de ver o primogênito como alguém " do bem" e honrado ...

No canto direito da mesa, bem de frente a minha representante, estava um de atitudes também bizarras ( que ria ... será que era nervosismo... ou também era "perplexidade"...duvido que soubesse quem estava representando...). Era aquele outro ser bizarro...desprovido de qualquer emoção, uma calma que só poderia ter sido tirada de uma caixinha ...Nenhum dos dois conseguia me encarar... o ser risonho, até tentava...mas não durava ( por mais profissional que fosse, ali devia estar envergonhada, se é que naquele corpo mau enjambrado, cabe esse sentimento)...Creio que não, afinal, não sei se por maldade ou descontrole mesmo aquela (pessoa?), gargalhou e foi o suficiente para eu cair na real. Aquilo não era só mais um pesadelo...Exigi respeito e devolvi a gentileza lembrando que o pior castigo para aquelas pessoas deveria ser "se saberem aquilo". Debochar foi demais, senhora. Só uma pessoa sem mãe, filhos ou escrúpulos seria capaz de sentir prazer em tentar tripudiar naquela situação.

Aquela tortura durou horas que pareceram séculos e ainda não alcancei meus objetivos, mas sem aquele nome maldito na identidade, e bem representada por pessoas competentes e sensíveis que são, amparada pela minha mãe, pelo sorriso do meu filho e meus amigos, chegarei lá.

Uau!!! Divorciada! Aliviada...Falei bastante e com a confiança de quem tem a liberdade de poder falar a verdade. Cada palavra foi verdadeira. Nem mais, nem menos.

Mas o final foi triunfal. Seria cômico, digno daqueles filmes "Trash" que pretendem tratar com humor a dura realidade. Aguardando aquele misto de poço de arrogância, com maltrapilho de espírito, havia uma comitiva, tipo amigos remunerados: Dindinho, Amiga da Titia rica, Mulher do filhinho da amiguinha da Titia rica (essa merece aplausos pela presença patética...ahhh...ela devia estar lá para retocar a máscara dos outros) , e até Padre ...

Peraí. Padre? Isso. De Batina. Mas sem reza, nem terço, nem hóstia, nem vergonha.
Estaria ele lá para me absolver?  Afinal já cumpri toda a penitência por ter um dia, dito SIM.


MAS DEUS ESTÁ VENDO TUDO!!!

1 comentários:

Edu Sander on 26 de novembro de 2011 04:21 disse...

SEN-SA-CIO-NAL!!!

Postar um comentário

As + Lidas

 

DIÁRIO DE MIM... SÓ | Copyright © 2011 - Layout criado por Ipietoon | Customizado por Douglas Nacif
Todos os direitos reservados